Ensinando e fazendo Missões

Buscar no blog

Central Gospel – 1º Trimestre 2020 – 19-01-2020 – Lição 3 – As representações do Espírito Santo

24/01/2020

Este post é assinado por Cláudio Roberto de Souza

TEXTO BÍBLICO BÁSICO

Isaías 44:1-8

1 Agora, pois, ouve, ó Jacó, servo meu, e tu, ó Israel, a quem escolhi.

2 Assim diz o SENHOR que te criou, e te formou desde o ventre, e que te ajudará: Não temas, ó Jacó, servo meu, e tu, Jesurum, a quem escolhi.

3 Porque derramarei água sobre o sedento e rios, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes.

4 E brotarão entre a erva, como salgueiros junto aos ribeiros das águas.

5 Este dirá: Eu sou do SENHOR; e aquele se chamará do nome de Jacó; e aquele outro escreverá com a mão: Eu sou do SENHOR; e por sobrenome tomará o nome de Israel.

6 Assim diz o SENHOR, Rei de Israel e seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e fora de mim não há Deus.
7 E quem chamará como eu, e anunciará isso, e o porá em ordem perante mim, desde que ordenei um povo eterno? Este que anuncie as coisas futuras e as que ainda hão de vir.

8 Não vos assombreis, (ARC)

TEXTO ÁUREO

Zacarias 7:12

12 Sim, fizeram o seu coração duro como diamante, para que não ouvissem a lei, nem as palavras que o SENHOR dos Exércitos enviara pelo seu Espírito, mediante os profetas precedentes; donde veio a grande ira do SENHOR dos Exércitos. (ARC)

OBJETIVOS DA LIÇÃO

  • Compreender que o Espírito Santo atuou por todo o Antigo Testamento;
  • Entender que nem sempre Sua ação é visível, clara, explícita, perceptível, mas, apesar disso, o Espírito Santo nunca deixou de colaborar com Deus;
  • Perceber que o Espírito Santo teve um papel fundamental no plano de Deus e que Ele foi anunciado desde os tempos mais longínquos.

PALAVRA INTRODUTÓRIA

Paz seja convosco meus nobres companheiros(as) do ministério do Ensino.

Iremos abordar a presença e a ação do Espírito Santo nos livros veterotestamentários.

Vale ressaltar que a Bíblia possui uma estrutura bem definida; ela foi dividida em algumas partes. A principal separa as duas grandes alianças entre Deus e os homens – Antigo e Novo Testamentos, compostos de 66 livros, sendo 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo. Segundo o saudoso pastor Antônio Gilberto, esses 66 livros foram escritos num período de 16 séculos e tiveram cerca de 40 escritores. Aqui está um dos milagres da Bíblia. Esses escritores pertenceram às mais variadas profissões e atividades, viveram e escreveram em países e regiões distantes uns dos outros, em épocas e condições diversas, entretanto, seus escritos formam uma harmonia perfeita. Isto prova que um só os dirigia no registro da revelação divina: Deus, através do Seu Santo Espírito.

Os 39 livros do Antigo Testamento está subdivido em: lei, história, poesia, profecia. Exporemos a presença e a atividade do Espírito Santo através destas divisões que chamamos de literárias. 

1 – O ESPÍRITO SANTO NO PENTATEUCO

O pentateuco é a nomenclatura dada aos 5 primeiros livros da Bíblia (Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio). Vem de “penta” que significa “cinco”, e “teuxos” que quer dizer “volume” ou “livro”; daí o significado: “obra de cinco tomos ou livros”. O nome se originou com a famosa e primeira tradução do Antigo Testamento, chamada Septuaginta, feita do hebraico para o grego, no terceiro século antes de Cristo.

Para os judeus é chamada de “Torá”, palavra hebraica e o seu significado está associado a “ensinamento”, “instrução” ou literalmente “Lei”. 

Mesmo na composição dos cinco primeiros livros da Bíblia, pode-se vislumbrar a atuação e presença do Espírito Santo.

1.1 – Em Gênesis

Cremos no criacionismo, isto é, Deus é o criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis. Não é apenas uma ideia de que Ele seja o Criador, mas o retrato exato daquilo que a cosmovisão cristã compreende das Escrituras – Deus é de fato o Criador e não há discussão no âmbito do cristianismo e do judaísmo acerca desta doutrina.

“Gênesis” e um nome apropriado, pois é o termo grego para “princípio”. O primeiro livro da Bíblia descreve as origens do universo, da terra, do homem, do casamento, do pecado, da verdadeira religião, das nações, das línguas diferentes e do povo escolhido.

No princípio e mesmo quando nada era de fato, o Espírito Santo já estava agindo e participando da criação.

O texto de Gênesis, logo em seu princípio, cita o Espírito Santo posicionado sobre a face das águas:

Gênesis 1:2

2 […] e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. (ARC)

Embora feita por Deus, a terra não estava pronta para o homem. Ainda estava em desordem: “sem forma e vazia” (v.2), e não havia luz. Contudo, havia atividade. O Espírito de Deus se movia continuamente sobre a face das águas.

John Gill, afirma que “esse mesmo Espírito… “se movia sobre a superfície das águas”, impregnando-as, como uma galinha que choca os seus ovos”. Norman Russel Champlin afirma que Hermes, Orfeu, os egípcios, os fenícios e os chineses tinham todas metáforas parecidas no tocante ao começo da vida, e como ela emergiu dentre o caos. Tais expressões, como é natural, são poéticas.

Temos nesta expressão a primeira menção acerca do Espírito Santo na Bíblia e Ele está em atividade, ocupado na sequência da criação do Universo registrado no versículo 1: “No princípio criou Deus os céus e a terra.”

Willian MacDonald explica que o Espírito Santo preparava a terra para o maravilhoso ato criativo e reconstrutivo que vem a seguir. Os versículos restantes descrevem os seis dias de criação e reconstrução que moldaram a terra para ser habitada pelos seres humanos.

Tal operação e presença do Espírito Santo no momento da criação pode ser comprovada no livro de Salmos:

Salmos 104:30

30 Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra. (ARC)

Aleluia por esta verdade!

Alguns estudiosos acreditam que no caso em que Noé solta uma pomba da arca para ver se as águas do dilúvio haviam secado, trata-se de uma tipologia do Espírito Santo e as três etapas do Espírito Santo entre os homens (Gn 8.8-12), evidenciando a sua presença no livro de Gênesis;

Primeira Etapa: Após o dilúvio, Noé soltou uma pomba da arca. A pomba não achou repouso para a planta do seu pé e voltou a ele para a arca. A pomba é aqui um dos símbolos do Espírito Santo. Saiu e voltou à arca; fala do Espírito Santo atuando no Velho Testamento, quando sua atuação entre os homens foi restrita e específica. Sua atuação envolveu:

  • Os líderes: Gn 41.38; Êx 31.3-5; Nm 11.25;27.18; Dt 18.18; 34.29; Is 63.11;
  • Os juízes: Jz 3.10,11; 6.34; 11.29; 15.14;
  • Os reis: 1Sm 10.10; 16.13;
  • Os profetas: 2Re 1.16; Ez 2.2; 2Pe 1.21.

Segunda Etapa: A pomba saiu da arca e voltou à Noé, tendo no bico um ramo de oliveira. Fala do Espírito Santo na vida de Jesus, envolvendo:

  • Seu batismo: Mt 3.13-17; Lc 3.21,22;
  • A tentação: Mt 4.1; Mc 1.12; Lc 4.1;
  • Seu ministério: Lc 4.14,18,19;

Terceira Etapa: A pomba saiu da arca e não mais voltou para Noé, tendo achado repouso para a planta de seu pé. Fala da atual dispensação, quando o Espírito Santo achou repouso entre os homens santificados pelo sangue de Jesus. O Senhor Jesus afirmou: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convoco para sempre” (Jo 14.16). A presença do Espírito Santo entre nós não é efêmera, mas definitiva. Em toda a dispensação da graça, Ele atuará poderosa e abundantemente, fazendo nossos cálices transbordarem (Sl 23.5), mas tudo começou no livro dos princípios, isto é, em Gênesis.

1.2 – Em Êxodo

Êxodo é o termo grego para “saída” e narra como, em quatrocentos anos, a família de Abraão cresceu e se transformou em uma nação sob os trabalhos forçados dos Faraós do Egito e como foi remida da escravidão pela liderança de Moisés. O restante do livro apresenta a lei mosaica e uma descrição detalhada do tabernáculo.

O livro tem quatro partes principais:

1) A libertação dos israelitas;

2) A viagem até o monte Sinai;

3) O concerto de Deus feito com o seu povo no monte Sinai, onde Deus lhe deu as leis morais, civis e religiosas;

4) A construção de um lugar de adoração para o povo de Israel e as leis a respeito do sacerdócio e da adoração de Deus.

Acima de tudo, este livro descreve o que Deus fez, como ele libertou o seu povo e como, daquela gente, ele formou uma nação cheia de esperança no futuro.

No livro do Êxodo encontramos as simbologias dos itens do tabernáculo que apontam para Cristo.

A construção do Tabernáculo exigiria excelentes habilidades das quais não se achavam por completa em nenhum dos israelitas recém-saídos do Egito. A confecção dos diversos itens do Tabernáculo requeria capacidades extraordinárias para trabalhar com os diversos materiais, e perícia nos mais variados processos de fabricação das peças do Tabernáculo.

Como adestrar alguém para serviços tão complexos em tão curto período de tempo? A presença capacitadora do Espírito Santo foi suficiente para habilitar com maestria o servo Bezalel e Aoliabe (Êx 31.2,6), cada qual apto para trabalhar com os materiais que seriam utilizados na composição do Tabernáculo.

Deus escolheu e capacitou a Bezalel e Aoliabe como artífices para construírem o tabernáculo (a tenda da congregação) e todos os pertences deste. Tal competência se deu através do Espírito Santo:

Êxodo 31:3-5

3 e o enchi do Espírito de Deus, de sabedoria, e de entendimento, e de ciência em todo artifício,

4 para inventar invenções, e trabalhar em ouro, e em prata, e em cobre,

5 e em lavramento de pedras para engastar, e em artifício de madeira, para trabalhar em todo lavor. (ARC)

Em Êxodo, o Espírito Santo é o capacitador que concede dons aos homens a fim de labutarem na obra do Senhor. Além disso, esses dois homens também supervisionaram os outros trabalhadores envolvidos na construção (v. 6b). Esse parágrafo construído na primeira pessoa do singular mostra que Deus capacita as pessoas para cumprirem suas ordens.

Toda obra e trabalho de Deus, o Senhor a realiza por meio dos homens e depois os recompensa por sua participação, mesmo sendo Ele mesmo quem nos torna aptos e capazes para as tarefas, concedendo-nos recursos que antes não possuíamos.

Louvado seja Deus que reduz as nossas insuficiências e limitações dando-nos destreza e aptidões através do Espírito Santo.

1.3 – Em Levítico

Levítico recebe esse nome por ser um manual para os levitas. Descreve os rituais necessários para os homens pecaminosos da época terem comunhão com um Deus santo. O livro traz imagens e tipos do sacrifício de Cristo.

A lição principal do livro é que o Deus do povo de Israel é santo. Portanto, esse povo que Ele escolheu também deveria ser santo e completamente fiel a Deus.

A presença do Espírito Santo neste livro é sutil. Não se acha escrito o termo da Terceira Pessoa da Trindade, mas se percebe sua presença quando na exigência da santidade para o povo de Deus.

Levítico 19:2

2 Fala a toda a congregação dos filhos de Israel e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo. (ARC)

A palavra santo no texto é no original hebraico: “qadowsh” ou “qadosh” cujo significado é: sagrado, santo, o Santo, separado (Dicionário Strong). Consideremos cinco pontos abaixo conforme orienta Champlin sobre este texto:

  1. Deus e a fonte de toda a santidade;
  1. Deus implanta no homem a Sua própria santidade, mediante as operações do Espírito Santo;
  1. A lei deu aos homens conhecimento sobre o que se espera deles, eticamente falando. A lei traz conhecimentos que nos permitem viver de modo mais coerente com a ética, em nosso relacionamento com Deus e em nosso relacionamento com os semelhantes;
  1. A santidade de Deus serve tanto de exemplo quanto de inspiração a santidade humana;
  1. Na dispensação do evangelho, vamos sendo transformados segundo a imagem de Cristo (Rm 8.29; 1Jo 3.2), de modo que vamos participando da natureza divina (2Pe 1.4), pois nos foi implantada a própria natureza moral de Deus pelo Espírito Santo.

Deus nos salvou para a santidade. Trata-se de uma ordem imperativa (1Pe 1.15,16). O reverendo Hernandes Dias Lopes fala com propriedade que Deus nos chama para sermos seus filhos e refletirmos seu caráter. Não fomos destinados apenas para a glória, mas para sermos semelhantes ao Rei da glória. Fomos chamados para sermos coparticipantes da natureza divina.

Note que o homem sem o auxílio, presença e habitação do Espírito Santo, não pode alcançar a santidade exigida por Deus. Os recursos para tal são advindos do próprio Deus e não há absolutamente nada que o homem possa fazer que ao menos se aproxime da santidade requerida por Deus, pois ela se adquire única e exclusivamente através do Espírito Santo. Ele é o agente da santidade na vida do homem!

1.4 – Em Números e Deuteronômio

Evangelista Cláudio Roberto de Souza

Para continuar lendo esse esboço CLIQUE AQUI e escolha um dos nossos planos!

É com muita alegria que nos dirigimos a você informando que a EBD Comentada já está disponibilizando os planos de assinaturas para que você possa continuar a usufruir dos nossos conteúdos com a qualidade já conhecida e garantida.

vantagens

Informamos que mantemos uma parceria missionária com a EQUIPE SEMEAR, localizada na cidade de Uberaba – MG, que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;

CLIQUE AQUI para ser nosso parceiro missionário e continuar estudando a lição conosco…

Deus lhe abençoe ricamente!!!

Equipe EBD Comentada

Postado por ebd-comentada


Acesse os esboços por categorias


Copyright Março 2017 © EBD Comentada