Ensinando e fazendo Missões

Buscar esboços

Nossos Esboços

Betel Adultos – 3º Trimestre de 2018 – 16-09-2018 – Lição 12: A volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel

12/09/2018

Esse post é assinado por Cláudio Roberto de Souza

TEXTO ÁUREO

Isaías 54:7
7 Por um pequeno momento, te deixei, mas com grande misericórdia te recolherei; (ARC)

TEXTO DE REFERÊNCIA

2 Crônicas 36:22-23
22 Porém, no primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse a palavra do SENHOR, pela boca de Jeremias), despertou o SENHOR o espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino, como também por escrito, dizendo:

23 Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O SENHOR, Deus dos céus, me deu todos os reinos da terra e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em Judá; quem, dentre vós é de todo o seu povo, que suba, e o SENHOR, seu Deus, seja com ele. (ARC)

Isaías 45:4
4 Por amor de meu servo Jacó e de Israel, meu eleito, eu a ti te chamarei pelo teu nome; pus-te o teu sobrenome, ainda que não me conhecesses. (ARC)

OBJETIVOS DA LIÇÃO

  • Explicar que Deus permitiu o cativeiro, mas restaurou o Seu povo;
  • Mostrar que o ressurgimento de Israel foi uma intervenção divina na história dos judeus;
  • Ensinar que Deus é fiel para cumprir as Suas promessas na vida do Seu povo.

INTRODUÇÃO

Paz seja convosco!

Na última lição, falamos sobre o cativeiro babilônico imposto pelo próprio Deus ao Seu povo escolhido como forma de discipliná-los por suas constantes desobediências.

Esse castigo foi cronometrado e tinha tempo de 70 anos de duração (Jr 25.11-12).

O cativeiro Babilônico foi um fator de transformação radical para Judá e sua religião. Eles nunca mais seriam os mesmos.

Mesmo sendo apresentado pela Bíblia como um castigo da parte de Deus, contra seu povo desobediente, o cativeiro Babilônico acabou por se tomar um fator positivo para o progresso da religião dos judeus.

Antônio Renato Gusso afirma que no cativeiro foram deixados de lado alguns conceitos incompatíveis e lançados os alicerces para uma nova etapa, onde Deus passa a ser entendido de uma forma mais clara. Assim, aquilo que parecia ser totalmente negativo para Judá, acaba por ser transformado em um fator fundamental para a apresentação de Deus ao mundo.

Ao final de 70 anos de exílio, Deus patrocinava o retorno do seu povo a sua própria terra. O retorno se daria sob lideranças íntegras, vigorosas e habilitadas.

Neste contexto, havia profetas que ministravam palavras de ânimo e alento vindas do Senhor a um povo sofrido, castigado e desafortunado, que ao voltarem para a sua casa, encontrariam uma cidade, um templo e os muros destruídos (Ed 5.1)!

1 – A RECONSTRUÇÃO DO TEMPLO

Depois de ter se passado, aproximadamente, meio século desde a destruição do templo em Jerusalém, levando ao desaparecimento do Estado de Judá; quando parecia não haver mais possibilidade alguma de retorno para aqueles que haviam sido levados para o cativeiro na Babilônia; a situação do povo judeu começou a se transformar.

Mais uma vez a liderança mundial estava mudando de “mãos” e, com isto, renasceram as esperanças de um recomeço para Judá.

O novo império que emergia era o Persa, cujo líder era Ciro. Este era o instrumento usado por Deus não somente para punir Babilônia, cujos pecados eram maiores que os de Judá (Hc 2), como também trazer de volta o seu povo escolhido para Jerusalém.

Isto foi predito por Isaías (Is 44.28; 45.1-4). Este profeta cita nominalmente aquele que seria o instrumento para a futura restauração de Israel. Porém, Isaías desempenhou o seu ministério entre 739 e 681 a.C., ao passo que Ciro veio a ser rei da Pérsia em 539 a.C. Há entre eles um intervalo de 150 a 200 anos!

O respeitado historiador judeu, Flávio Josefo, escreveu que Ciro leu o que estava predito acerca dele no livro do profeta Isaías e que fora escrito cerca de 200 anos antes que ele tivesse nascido, que Deus o havia constituído soberano sobre muitas nações, e a partir disso se sentiu inspirado a fazer o povo de Deus voltar a Jerusalém para reconstruir o Templo.

Ciro ficou tão maravilhado com essa profecia, por que não apenas falava dele, mas lhe conferia o nome pelo qual era chamado; então mandou reunir na Babilônia os principais dos judeus e anunciou que lhes permitia voltar ao seu país e reconstruir a cidade de Jerusalém e o Templo!

O Deus compassivo exerce a sua misericórdia e dá início ao regresso dos saudosos judeus a sua pátria!

1.1 – Quem era Esdras?

Por Cláudio Roberto de Souza

Para continuar lendo esse esboço CLIQUE AQUI e escolha um dos nossos planos!

É com muita alegria que nos dirigimos a você informando que a EBD Comentada já está disponibilizando os planos de assinaturas para que você possa continuar a usufruir dos nossos conteúdos com a qualidade já conhecida e garantida.

vantagens

Informamos também que conquistamos uma parceria missionária com os seguintes trabalhos evangelísticos:

  • Equipe Semear – Localizada na cidade Uberaba – MG e que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;
  • Equipe Exército da Última Hora – Localizada na cidade de Porto Velho – RO – e que também executa o mesmo trabalho tanto na capital de Rondônia como nos arredores.

CLIQUE AQUI para ser nosso parceiro missionário e continuar estudando a lição conosco…

Deus lhe abençoe ricamente!!!

Equipe EBD Comentada


Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado


Copyright Março 2017 © EBD Comentada